Versão teatral de ‘Dançando no Escuro’, de Lars von Trier, estreia em outubro no Rio

Por Maria Luísa Barsanelli

A montagem brasileira do musical “Dançando no Escuro”, versão teatral do filme de Lars von Trier, estreia no dia 19 de outubro no Sesc Ginástico, no Rio.

A adaptação ao palco, do nova-iorquino Patrick Ellsworth, ganhou tradução de Elidia Novaes, direção de Dani Barros (atriz de “Estamira, Beira do Mundo”) e direção musical de Marcelo Alonso Neves.

É Juliane Bodini quem interpreta a protagonista (papel de Björk no cinema), mulher com uma doença degenerativa que a leva à cegueira.

A iluminação da peça acompanha o drama da personagem: vai escurecendo à medida que ela perde a visão. A encenação também joga com o som, em momentos audíveis e silenciosos (alguns com audiodescrição).

A temporada no Rio vai até 19 de novembro.

Elenco do musical ‘Dançando no Escuro’ (FOTO Nana Moraes/Divulgação)

New York, New York

 

No dia 18/9, a escola Célia Helena (Av. São Gabriel, 462 – Itaim Bibi) recebe profissionais da New York Film Academy. Os diretores Roger Del Pozzo e Paul Brown farão palestras e oficinas, além de audições, com bolsas parciais, para a escola americana. As inscrições podem ser feitas neste link.

Pequeno ato

 

em alguns minutos virão me buscar

não tenho medo

não vou fazer nada mal

não sou um homem mau

não sou um assassino nem um animal

há certas palavras que não nos definem

há certas palavras das quais deveríamos fugir

como faz o diabo diante da água benta

e entre elas se encontram sabotagem e assassinato

só vai ser um ato de rebeldia

o princípio de um mundo novo

um mundo dominado pela guerra

um mundo dominado pelo ódio

um mundo dominado pela violência

nós somos todas essas coisas

nós

Trecho do espetáculo “Nuremberg, do dramaturgo uruguaio Santiago Sanguinetti, em cartaz até 1º/10 no Centro Compartilhado de Criação

 

Osmar Pereira em cena de “Nuremberg”, dirigida por César Maier (FOTO Divulgação)