Projeto prevê duas montagens simultâneas de Nelson Rodrigues

Por Maria Luísa Barsanelli

Depois de dirigir no ano passado “O Homem Desconfortável”, que marcou o retorno do Teatro de Comédia do Paraná (grupo cuja história havia sido interrompida em 2000), o diretor Alexandre Reinecke deve participar de outra montagem curitibana.

O projeto “Duas Doses de Nelson” pretende reunir duas peças rodriguianas, ambas com direção de Reinecke: “A Mulher sem Pecado” e “Viúva, Porém Honesta”.

A ideia é encená-las em conjunto, com apresentações de uma às quintas, outra às sextas e sessões duplas aos sábados e domingos.

O elenco de “Duas Doses de Nelson”, que se revezará em ambas as peças, deve contar com atores da cena curitibana, como Ranieri Gonzalez.

Para acompanhar o ritmo das apresentações em sequência, o cenário deve ser “volante”, ou seja, de fácil transição de uma montagem para outra.

Através do espelho

 

Marília Moreira mescla trechos de ‘A Gaivota’, de Tchékhov, com citações de Marilyn Monroe em ‘Além da Imagem’, que estreia em 28/7 no Sesc Ipiranga (FOTO Lenise Pinheiro/Folhapress)

Peça para ler Além de “Arrã”, a editora Cobogó irá lançar em livro as outras duas peças que compõem a trilogia “Placas Tectônicas”, do dramaturgo Vinicius Calderoni: “Não Nem Nada” e “Chorume”.

Manifesto Depois dos protestos em São Paulo, artistas do Rio também estão se manifestando nas redes sociais contra os cortes na Cultura, usando a hashtag #teatrosim.

E se?

 

A produtora IMM (de “Cantando na Chuva” e “My Fair Lady”) adquiriu os direitos para montar no Brasil o musical “If/Then”, de Brian Yorkey e Tom Kitt (os mesmos autores de “Quase Normal”).

Segundo a Music Theater International, que cuida dos licenciamentos internacionais de musicais, a produção seria realizada em São Paulo e no Rio entre setembro de 2018 e setembro de 2019.

O projeto enviado ao Ministério da Cultura, com o nome de “E Se… O Musical Contemporâneo da Broadway” foi autorizado a captar R$ 9,79 milhões via Lei Rouanet.

Na peça, uma mulher segue, paralelamente, dois caminhos possíveis de sua vida.

Pequeno ato

 

HELEN:…Então ele quebrou um dos vidros da janela, entrou, subiu, e saiu procurando pelo apartamento, e…quando chegou no meu quarto, ele me encontrou, deitada, dramaticamente quase envenenada com uma cartinha escrito: “Jenny.” E ele disse um “Me desculpe”. E nada. “Tá tudo bem?” Nada… Daí ele pegou a carta e foi pra cozinha e ele voltou e me colocou pra andar. Ele dizia: “Não para de andar, não para de andar…, você não pode parar de andar. Se eu te levar pro hospital, eles vão te internar.

“Trecho de “On Love”, adaptação da companhia Barracão Cultural para o texto do inglês Mick Gordon; dirigida por Francisco Medeiros, a montagem estreia nesta sexta (7) no teatro Cacilda Becker.