Claudia Abreu estreia em outubro ‘Panorâmica’, peça com texto de Jô Bilac e Júlia Spadaccini

Por Maria Luísa Barsanelli

Estreia em outubro em São Paulo uma parceria entre os dramaturgos Jô Bilac e Júlia Spadaccini: “Panorâmica” terá direção de Bia Lessa e o elenco conta com a atriz Claudia Abreu.

O texto, explica Bilac, foi escrito “em processo onde se atravessam discursos redimensionando o tamanho do ser humano”. São diferentes pontos de vista sobre as falas das pessoas, que vão do “micro” ao “macro”.

Bilac e Spadaccini têm trabalhos encenados juntos em “5 X Comédia”.

Recuo

 

Os atores Lavínia Pannunzio e Laerte Késsimos ilustrados por João Pirolla para o programa da peça ‘Refluxo’, dirigida por Eric Lenate; estreia em 12/4 na Fiesp (Divulgação)

Dogma Duas adaptações de filmes de Lars von Trier devem chegar aos palcos ainda neste ano: Felipe Lima produz “Dogville” e Dani Barros (atriz de “Estamira – Beira do Mundo”) dirige “Dançando no Escuro”.

Marílias A atriz Marília Medina, que apresenta “Apareceu a Margarida”, com direção de Bruno Garcia a partir de 6 de abril na Caixa Cultural São Paulo, conta que desde 2007 trocava impressões sobre a peça de Roberto Athayde com Marília Pêra, que viveu a personagem em 1977 dirigida por Aderbal Freire-Filho. “Ela ofereceu a Margarida dela para eu ver. Eu disse que nunca estaria preparada, se não iria colar”, brinca.

Língua franca Após passar pelo Festival de Curitiba, “Moçambique”, do diretor luso-moçambicano Jorge Andrade, fechou sessões no Sesc Vila Mariana para 8 e 9 de abril.

Solidez Os atores Anderson di Rizzi, Kiko Pissolato e Herbert Richers farão um paralelo entre a ciência e o homem contemporâneo em “O Quarto Estado da Água”, peça de Flavio Cafiero e direção de Bia Szvat que estreia em 22/4 no Top Teatro.

Centenário No aniversário de cem anos da Vila Maria Zélia (zona leste paulistana), em 6 de maio, o Grupo XIX fará uma sessão do espetáculo “Hygiene” às 11h.

Pequeno ato

 

ANIVERSARIANTE – Gente, eu tô muito feliz de estar aqui com vocês. Vocês são pessoas fundamentais na minha vida. Com cada um de vocês eu vivi um momento muito especial (olha no olho de cada um), uma história… uma… noite. (Todos riem, íntimos. Soltam “ui” e sons maliciosos.) Então eu escolhi a dedo com quem eu queria passar esse momento. Vocês tão na minha casa e aqui só tem gente que eu amo muito. Com todo mundo aqui eu tenho muita intimidade. Então eu pensei (respira fundo e fala sério como nunca): seria foda se a gente trepasse.

Trecho de “11 Selvagens”, de Pedro Granato, em cartaz no teatro Pequeno Ato.