Mara Maravilha irá protagonizar musical sobre ícones brasileiros dos anos 1980

Por Maria Luísa Barsanelli

Mara Maravilha será a protagonista do musical “Maravilha Anos 80”, que irá revisitar ícones populares da década no país, como Silvio Santos, Xuxa, Sergio Mallandro, Angélica, Menudo, Bozo, Pedro de Lara e Fofão.

De acordo com Wallace Meirelles, que divide o texto e a direção do espetáculo com Newton Cannito, a ideia é fazer um grande painel do período. “É uma época em que surgiu muita coisa bacana.”

A dupla se baseou no “Almanaque Anos 80”, livro de Luiz André Alzer e Mariana Claudino. “A gente está pinçando muita coisa dali para o roteiro”, afirma Meirelles.

Mara, que fez fama nos anos 1980, apresentará o período e seus contemporâneos (interpretados por outros atores). Haverá músicas da época –como da Turma do Balão Mágico– e possivelmente uma trilha original para amarrar as referências da década.

O projeto está em fase de captação e a previsão de estreia é no segundo semestre deste ano, em São Paulo.

X

Gestos Após uma temporada no Rio, a Cia. Dos à Deux estreia “Gritos” em 10/3 no CCBB paulistano. A peça concebida e dirigida por André Curti e Artur Luanda Ribeiro cria poemas gestuais sobre o amor.

Vidas O argentino Mario Vedoya está no Brasil para dirigir “A Vida Dela”, texto de Priscila Gontijo que estreia em março no Instituto Capobianco com Silvio Restiffe, Ernani Sanchez e Gabriela Flores no elenco.

Contos o grupo As Meninas do Conto estreia sua 1ª peça adulta, “Mil Mulheres e Uma Noite”, em 7/4 na Oficina Cultural Oswald de Andrade. O texto de Cassiano Sydow Quilici tem direção de Eric Nowinski.

Gosto amargo

 

Angela Fernandes, Einat Falbel e Camila Leitte em 'Café Azedo', peça inspirada em conto de Paula Mandel que estreia em 29/3 no Teatro Pequeno Ato (Gleiber Félix/Divulgação)
Angela Fernandes, Einat Falbel e Camila Leitte em ‘Café Azedo’, peça inspirada em conto de Paula Mandel que estreia no dia 29 de março no Teatro Pequeno Ato (FOTO Gleiber Félix/Divulgação)

 

Pequeno ato

 

ISADORA: Vamos morrer juntas?

OTACÍLIA: Bebeu água do parto? Tá louca?

ISADORA: Se você morrer antes eu vou ficar sozinha!!

OTACÍLIA: Mas eu sou mais nova que você! Você vai primeiro.

ISADORA: Mas eu não quero arriscar!!! O que que custa morrer comigo?

OTACÍLIA: Custa o velório.

Trecho de “Mulheres Ácidas”, de Cristiane Wersom, direção de Cristiane Paoli Quito e interpretação de Wersom e  Marianna Armellini. Estreia em 14/2 no Teatro Eva Herz.