Grupo Os Fofos decide fechar sua sede em SP

Por Maria Luísa Barsanelli

Os Fofos Encenam decidiram na quarta (21) fechar sua sede, no bairro paulistano da Bela Vista, e no mesmo dia começaram a empacotar seus pertences. O imóvel, alugado, deve ser entregue até 5 de janeiro.

“Dá uma dor no coração, mas estamos tirando dinheiro do nosso bolso para pagar o espaço. Deu um cansaço”, explica o encenador Fernando Neves. O gasto do grupo para manter a sede (aluguel, segurança etc.), conta ele, era de R$ 12 a R$ 15 mil mensais.

Neves diz que o grupo teve patrocínio em só um dos nove anos em que ocupou o local.

O teatro recebia não somente trabalhos dos Fofos, mas também sessões e ensaios de outros artistas. A peça “Sínthia”, da Velha Cia., teria uma nova temporada no espaço em janeiro. Os Fofos continuam seu trabalho, ainda sem perspectiva de uma nova sede.

Colaborou LUCAS NEVES

Mais um A votação extra da APCA para dança premiou dez (em vez das habituais sete) categorias. “Devolve 2 Horas da Minha Vida”, de Alex Soares, venceu como melhor estreia.

É pra rir O Prêmio do Humor, criado por Fábio Porchat, analisou 40 peças e 150 atores, que serão laureados em 2017.

Camarim

 

CAMARIM Leopoldo Pacheco prepara o visagismo da atriz Myra Ruiz (intérprete de Maureen) nos bastidores do musical 'Rent', em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca; à esq., o assistente de direção Thiago Ledier (Lenise Pinheiro/Folhapress)
CAMARIM
Leopoldo Pacheco prepara o visagismo da atriz Myra Ruiz (intérprete de Maureen) nos bastidores do musical ‘Rent’, em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca; à esq., o assistente de direção Thiago Ledier (Lenise Pinheiro/Folhapress)

A indomável

 

A atriz Paula Picarelli prepara “A Domadora”, monólogo em que será dirigida por Otávio Dantas. É a primeira dramaturgia da atriz, e o texto conta com colaborações e citações de outros artistas.

O suspense psicológico congela os 15 últimos segundos de apresentação de uma domadora de elefantes. Enquanto ela analisa se a pata do animal irá ou não atingi-la, ela reflete sobre sua vida e sobre envelhecer. “A gente está chegando perto dos 40 e vê como a nossa sociedade não lida bem com o envelhecimento”, conta a atriz.

A montagem ainda deve fazer uso de fotos e vídeos.

A atriz Paula Picarelli (Bruno Poletti/Folhapress)
A atriz Paula Picarelli (Bruno Poletti/Folhapress)

Pequeno ato

 

Eu costumava dizer que ia me separar assim que as crianças crescessem. O problema foi que elas cresceram e eu descobri que não tinha nenhum lugar pra onde ir. As pessoas adoram dizer que a terceira idade isso, a terceira idade aquilo, mas a verdade é que a gente acaba acreditando que a parte boa da vida ficou no passado. E, mesmo tendo a idade que eu tenho, eu não me sinto velha. […] Não que meu marido seja uma má pessoa, não, ele não é. É que eles acabam sendo todos iguais e previsíveis.

Trecho de “Uma Shirley Qualquer”, versão de Miguel Falabella para “Shirley Valentine”, de Willy Russell, que Susana Vieira, dirigida por Falabella, estreia em 13/1 no Teatro Renaissance.