Inspirada por momento político brasileiro, atriz e diretora prepara duas peças sobre ‘liberdade’

Por Maria Luísa Barsanelli

Georgette Fadel prepara dois projetos sobre o tema “liberdade”. “É a minha questão hoje, tem a ver com o momento político pelo qual passa o Brasil”, diz a atriz e diretora.

Com a Cia. São Jorge de Variedades, ela encabeça uma das seis peças que o grupo prepara a respeito do assunto.

A de Georgette, dirigida por Elisa Ohtake, é baseada na filósofa e escritora francesa Simone Weil (1909-1943), que trabalhou como operária de uma fábrica para relatar em livro o ofício. “Ela foi em busca, empiricamente, do entendimento da vida operária. E descreve isso com uma fala amorosa, honesta.”

Georgette convidou as atrizes Patrícia Gifford (da São Jorge), Paula Klein e Julia Ariani para dividir a cena com ela.

Em paralelo, ela irá dirigir Caco Ciocler e Zé Azul em um novo texto do mineiro André Sant’Anna: ele está escrevendo para o trio uma peça que também trata de liberdade.

A ideia é estrear os trabalhos (ainda sem nome definido) ao mesmo tempo, no segundo semestre. Georgette está negociando com o Tempo Festival, no Rio, para emplacar as duas montagens na programação da mostra, que acontece em outubro.

 

WEIL X WEIL Natalia Gonsales no camarim de 'A Última Dança'; como Georgette Fadel, a atriz também se inspirou em Simone Weil para sua peça, que estreia em 13/6 no Viga (Lenise Pinheiro/Folhapress)
WEIL X WEIL Natalia Gonsales no camarim de ‘A Última Dança’; como Georgette Fadel, a atriz também se inspirou em Simone Weil para sua peça, que estreia em 13/6 no Viga (Lenise Pinheiro/Folhapress)

Construção

 

A Mundana Companhia está terminando um livro –ainda sem editora– sobre os processos de imersão de “Na Selva das Cidades – Em Obras”, série de ocupações inspirada na peça de Bertolt Brecht.

Em paralelo, o grupo abre para o público os treinamentos (como chama seus ensaios) do espetáculo. São duas datas no Tusp. No dia 19/6, às 11h, Cibele Forjaz e Lu Favoretto dirigem o elenco, que ensaiará sem falar seus textos –o foco serão os movimentos e expressões dos atores. No dia 24, às 15h, Cibele e Lucia Gayotto assumem o papel de “treinadoras”.

Os ingressos custam R$ 20.

A atriz Luah Guimarãez durante apresentação de "Na Selva das Cidades - Em Obras", da Mundana Companhia, em São José do Rio Preto (Renato Mangolin/Divulgação)
A atriz Luah Guimarãez durante apresentação de “Na Selva das Cidades – Em Obras”, da Mundana Companhia, em São José do Rio Preto (Renato Mangolin/Divulgação)

Deriva Alexandre Rodrigues, o Buscapé de “Cidade de Deus”, estará em “Barulho d’Água”, montagem da Companhia Nova de Teatro para texto do italiano Marco Martinelli.

Deriva 2 A peça, sobre os refugiados que atravessam o Mediterrâneo rumo à Europa, estreia no dia 1º/7, com apresentações em três teatros de São Paulo: João Caetano, Cacilda Becker e Alfredo Mesquita.

Mergulho A Cia La Plongée encena neste ano dois novos trabalhos no teatro Cemitério de Automóveis: “A Velha da Rua Excelsior”, com estreia em agosto, e o monólogo “Montaigne Desapareceu” (ainda sem data), de Lucas Mayor.